A história da Quinta da Aveleda perde-se no tempo mas existem inúmeros registos sobre a mesma a partir do século XVI. Tratou-se sempre de uma propriedade agrícola composta por um conjunto de quintas que, ao longo dos anos, passaram de mão em mão, até que Manoel Pedro Guedes de Silva da Fonseca, em torno 1850, entediado da vida da capital e da política, começou a apaixonar-se pela sua Quinta e foi viver para a Aveleda. Era uma pessoa com uma grande visão e dedicou-se à propriedade, plantando vinhas, fazendo obras, desenvolvendo as estruturas da Quinta, construindo inclusive uma adega com capacidade para 300 pipas.


O segundo filho de Fernando Guedes - Roberto Guedes - começou a ajudar o pai quando acabou o serviço militar. De todos os irmãos - quatro irmãs e três irmãos - foi na altura o único a trabalhar na Aveleda e por lá ficou. Em 1946, à morte de Fernando Guedes, os filhos constituem uma sociedade agrícola para administração da propriedade. É neste período que a Quinta mais se desenvolve, graças ao vertiginoso aumento das vendas de Vinho Verde para o Brasil e mercados de África. Nesta fase de prosperidade são frequentes os melhoramentos, as construções de novos edifícios e o engrandecimento dos jardins e parque. Dois nomes ficaram ligados a esta fase - Roberto e Fernando, que se dedicaram apaixonadamente à empresa.